Sent: 22 de Julho de 1996 16:37
To: ccmn@di.ufpe.br
Subject: Planejar: para que e como?

De: Angela C. F. Gomes
Programa Multiistitucional em Planejamento e Gestao - ProTeM PG
CNPQ / Projeto Escola de Governo da Unicamp


Para comentar este documento, cite seu título e/ou autor em uma mail enviada para ccmn@di.ufpe.br , referenciando explicitamente o trecho do documento sobre o qual seu comentário se aplica ou estabelecendo que sua intervenção é sobre o documento como um todo...


Esta tentativa de participar das discussoes do Secomu 96 teve como ponto de partida o texto do prof. Silvio Meira que deveria provocar o position paper para o seminario denominado "Planejamento e Administracao Institucional: pre condicao para um desenvolvimento sustentado na area"

Assim como as demais provocacoes o texto toca firme em problemas fundamentais do assunto que quer ver tratado. Neste caso dois problemas para cuja solucao o ProTeM PG pretende contribuir.

O primeiro aponta a precaria formacao dos dirigentes de CC ( e cabe completar que isto se da em outras areas e nos varios niveis de decisao ), em conteudos especificos de governo - planejamento, gestao, analise estrategica. O segundo se refere a carencia de reflexoes e definicoes de governo e estrategicas nas instituicoes de C&T ( pois, novamente, o que vale para departamentos de CC vale para outras instancias de poder ).

O cancelamento do seminario especifico para discutir planejamento, longe de enfraquecer seus questionamentos, talvez tenha dado mais relevancia do tema ao salientar o seu carater "horizontal". O exame dos outros documentos de referencia de seminarios mostram as questoes relacionadas ao planejamento atravessando matricialmente todos os temas.

Cabe, inicialmente, estabelecer as distincoes para precisar os termos aqui utilizados. Desta forma, governo significa a conducao por parte de um ator das suas acoes em determinada situacao - seu projeto ou objetivos, capacidades e espaco de governabilidade. Estrategia diz respeito ao como chegar aos objetivos do ator ou implementar seu projeto dentro das limitacoes e variaveis apresentadas pela situacao. E ator social e a organizacao ou personalidade que, mediante controle de recursos relevantes, exerce governo, ou seja, e capaz de produzir fatos no jogo social.

As dificuldades advindas da pouca articulacao da area em torno de projeto que oriente o exercicio de governo em CC e sentido e apontado em varios dos documentos. Pode-se dizer e precario o planejamento na area CC.

O planejamento precedendo e presidindo a acao confere direcionalidade, organiza o enfrentamento de problemas, possibilita o aproveitamento de oportunidades, prioriza a aplicacao de recursos escassos. Para um ator - coletivo ou individual - planejar e sinonomo de conduzir conscientemente. A alternativa e a submissao as circunstancias da situacao que o cerca nas decisoes criticas, e o reino do improviso nas acoes cotidianas.

Com notavel clarividencia muitos dos documentos avancam, apontando a articulacao dos varios atores interessados na definicao das politicas de CC em particular e C&T em geral, como forma de aumentar a consequencia e relevancia dos seus resultados.

E preciso dizer que definir e viabilizar politicas, analisar cenarios, articular interesses dependem para seu exito de tecnologia. Isto parece confluir para a primeira questao: o conhecimento e acesso de dirigentes de C&T a ferramentas de governo.

A area de conhecimento - com decidida vocacao aplicada - denominada ciencias e tecnicas de governo conheceu significativos avancos nas ultimas decadas. Os dirigentes - e nao apenas de ciencia e tecnologia - tem sofrido, neste caso, da sindrome da ignorancia ao quadrado: nao sabem e nao sabem que nao sabem. Cuidam que somente com ideias podem exercer governo. Desconhecem ferramentas modernas de planejamento e gestao capazes de lidar com situacoes complexas. Tentam implementar, muitas vezes, projetos diferenciados utilizando os mesmos metodos tradicionais.

A capacidade de analisar, propor e implementar acoes, de governar estrategicamente, pode ser desenvolvida. E, mais ainda, aqueles que decidem, implementam e executam as acoes e que devem ser capacitados. Planejamento nao e, pois, atividade tecnica a ser exercida em gabinetes ou instancias especificas, mas ferramenta de governo a ser apropriada e utilizada por quem governa - em qualquer nivel de poder.

O CNPq procura hoje contribuir na disseminacao e capacitacao acima referida. Uma das iniciativas neste sentido e o ProTeM PG que quer aproximar os profissionais de C&T envolvidos com a definicao e implementacao de politicas do universo formado pelas ciencias e tecnicas de governo.

O objetivo maior perseguido e aumentar a qualidade e viabilidade das acoes em C&T / multiplicando as oportunidades do pais na area e, consequentemente, suas chances no futuro.

O ProTeM PG esta sendo construido aos poucos e, pelos proprios pressupostos nos quais se apoia, isto deve e esta sendo feito de forma coletiva, com participacao sempre crescente. O Secomu96, e sua discussao previa, pode contribuir em muito para esta construcao.