PROTEM2000 - Plano 1996/2000 do Programa Temático Multi-institucional da Ciência da Computação (ProTeM-CC)

Resultados da 2a. reunião de planejamento estratégico (reunião do GT2), de 21 de novembro de 1995, em Brasília

Relato de Cláudio Marinho,
Emprel, Recife


Para comentar este documento, cite seu título e/ou autor em uma mail enviada para ccmn@di.ufpe.br, referenciando explicitamente o trecho do documento sobre o qual seu comentário se aplica ou estabelecendo que sua intervenção é sobre o documento como um todo...


Versão de 8 de junho de 1996

A)Introdução

"Creio que fomos reunidos para uma missão muito especial que ainda não foi concluída.Acredito que o PROTEM/96 será mais um passo de gigante neste nosso trabalho de 'formiguinhas'" (Iara Cláudio, PUCRS, em mensagem de Natal de 95 para os seus companheiros do GT2).

Este é um work-in-progress do Protem2000, plano de médio prazo para o Programa Temático Multi-institucional da Ciência da Computação (ProTeM-CC), do CNPq/DPE. Este relatório incorpora as proposições do GT2, grupo de planejamento reunido em Brasília no dia 21 de novembro de 1995 , ao produto resultante do esforço de dois dias de seminário (Brasília, 20-21 de junho de 1995) do GT1, grupo representativo do governo, dos departamentos de ensino e pesquisa em ciência da computação e de empresas de informática do país . As pessoas desses dois grupos compartilham com o CNPq, através da sua Diretoria de Programas Especiais (DPE), o reconhecimento da importância de se planejar a política de formação de recursos humanos e p & d do setor de informática no Brasil.

As duas reuniões de planejamento em Brasília foram conduzidas segundo uma metodologia de planejamento estratégico situacional que considera necessário definir OPERAÇÕES para atuar com possibilidades de êxito sobre os CENTROS DE AÇÃO relevantes de uma cadeia causal das diversas manifestações (DESCRITORES) do PROBLEMA PRINCIPAL a ser enfrentado pelo Protem2000, identificado pelo grupo de planejamento. Essas operações devem ser detalhadas em AÇÕES com cronogramas e recursos que produzam, no seu conjunto, mudanças qualitativas e quantitativas na situação de partida. As mudanças pretendidas devem se expressar em DESCRITORES DE RESULTADOS a serem claramente definidos pelo grupo de implementação do Plano 1996/2000.

A primeira versão deste documento (aquela resultante da reunião do GT1, de 20-21 de junho) foi distribuída entre os participantes do SECOMU 95 (Canela, RS, 1-4 agosto) acompanhada de um questionário, objetivando colher críticas, sugestões e detalhamentos (especificação de ações a serem desenvolvidas) e procurando uma validação das suas propostas. Anteriormente ao SECOMU, uma versão das proposições iniciais foi distribuída em listas de discussão relevantes com igual objetivo. Logo em seguida a Canela, mala direta com a mesma versão foi expedida por correio eletrônico para todos os participantes dos debates que forneceram endereços.

Os resultados dessas iniciativas foram incorporados à presente versão na forma de comentários e propostas de ação que estão distribuídos pelos itens a que se referem, identificados pelos respectivos autores e destacados em itálico. Parte deste material serviu de documento de insumo para a reunião do GT2 no dia 21 de novembro, o qual, por sua vez, produziu um outro conjunto de propostas de ação a partir de resultados esperados para cada uma das operações e das proposições dos momentos anteriores. As contribuições da segunda reunião de planejamento estão referidas no texto, onde aplicáveis, sob os subtítulos "Propostas do GT2", das quais também constam comentários surgidos na lista de discussão criada especialmente para este grupo.

A expectativa neste momento do planejamento é:

  1. que se publiquem estes resultados em web site específico do Protem2000 e através de outras mídias, visando obter a adesão de potenciais "campeões" para coordenar o processo de consolidação e implementação das ações do Protem2000 ;
  2. que se estabeleçam discussões entre a Coordenação Nacional do Protem-CC e os "campeões" de cada operação para consolidar o conjunto de ações relevantes e discutir roteiros e critérios de satisfação para o detalhamento do esquema de implementação dessas ações
  3. que se inicie a montagem dos esquemas de gerenciamento estratégico das operações, que deverá contar com o uso intensivo de ferramentas informatizadas de gerenciamento de projeto (acompanhamento por diagramas de barra e redes de precedência, etc.) e trabalho em grupo via rede Internet/RNP (listas de discussão, home page em web site da coordenação etc.).

Para facilitar a discussão e a implementação, as operações foram agrupadas segundo pertencessem ao âmbito da SOCIEDADE em geral, da formação de RH, da questão de P & D ou das EMPRESAS de informática. Numa visão sumária, apresenta-se abaixo a MISSÃO do ProTeM-CC, o PROBLEMA PRINCIPAL a ser enfrentado pelo ProTeM2000 e uma síntese do documento "Formação de Recursos Humanos, Pesquisa e Desenvolvimento: Bases para uma Política de Informática" (FRHPD), ponto de partida para atualização e fixação de metas do ProTeM-CC, para em seguida detalhar as OPERAÇÕES por grupamento, todos acompanhados dos comentários e proposições dos respondentes dos questionários, das listas de discussão e da segunda reunião de planejamento (GT2).

B) A missão do ProTeM-CC

O ProTeM investe em pesquisa cooperativa de âmbito nacional em informática, associando universidades e centros de pesquisa de excelência e emergentes, em estreita parceria com a indústria, nos componentes de ensino, pesquisa e desenvolvimento relativos a grandes desafios nacionais, problemas de interesse da indústria e projetos cooperativos com outras áreas de ciência, tecnologia, humanas e artes.

Respostas dos questionários ("é isso mesmo?"):


C) Problema principal para o ProTeM 2000

A capacitação tecnológica e a cultura em informática das empresas e da sociedade brasileiras estão inadequadas e insuficientes para enfrentar os desafios econômicos e sociais deste fim de século.

Respostas dos questionários ("está certo isso?"):

D) O FRHPD, em síntese propositiva

1) Formação de Pessoal

O FRHPD considera razoável INSTALAR no Brasil, a médio prazo (isto é, durante os próximos 10 anos), e partindo da base que já temos (cerca de 400 doutores ativos em Computação, espalhados em cerca de 25 departamentos de vários graus de competência), um conjunto de centros de formação de pessoal composto por:

Respostas dos questionários ("estas metas ainda resistem à avaliação?"):

2) Pesquisa e Desenvolvimento

A idéia central aqui é que o papel da universidade é o de produzir recursos humanos de alta qualidade. Pesquisa e desenvolvimento, neste caso, são meios, extremamente importantes, mas não são um fim em si, dentro da universidade. É na indústria e nos centros de pesquisa que um profissional de boa formação poderá ser utilizado em seu potencial pleno.

Dentro deste contexto, são considerados os problemas de tecnologias emergentes e pesquisa básica, ao que se seguem considerações sobre problemas de infra-estrutura nacional e áreas de interesse social que também representam desafios científicos importantes.

a)Tecnologias Emergentes e Pesquisa Básica

O FRHPD propõe linhas de pesquisa que levam em conta as possibilidades de p & d real no Brasil, e que venham a ter relação com objetivos estratégicos de mercado a curto, médio e longo prazo. Ao todo, são 13 linhas:

  1. Linguagens de Programação,
  2. Banco de Dados,
  3. Ambientes de Desenvolvimento de Software,
  4. Redes de Computadores,
  5. Software para Telecomunicações,
  6. Hipertexto e Multimídia,
  7. Sistemas Operacionais,
  8. Arquitetura de Computadores,
  9. Circuitos Integrados,
  10. Redes Neuronais,
  11. Inteligência Artificial,
  12. Computação Gráfica e
  13. Teoria da Computação.

Respostas dos questionários ("são essas mesmo as linhas de pesquisa?"):

b)Infra-estrutura e Temas de Interesse Social

Aqui seriam envolvidos tanto governo e empresa como grupos universitários de viés mais aplicado. Mesmo assim, esta seara não seria exclusiva destes, já que a maioria dos problemas listados abaixo requer um tratamento teórico de complexidade considerável antes de serem tentadas soluções práticas para os mesmos.

Respostas dos questionários ("...esses problemas são de tratamento prioritário?"):

3) Capacitação Tecnológica

A transferência de tecnologia entre os centros de pesquisa e o meio produtivo certamente tem que ser induzida, principalmente no caso brasileiro, indo desde a formação de pessoal até a criação de novas empresas de "alta" tecnologia. Alguns dos esf*orços programados e em fase de implementação, no momento, cujas ações "partem" dos centros de pesquisa e formação de pessoal, são:

Respostas dos questionários ("estes programas resistem à avaliação?"):

E) As operações do ProTeM 2000, em síntese

1) Sociedade

OP1: Promover o desenvolvimento de produtos adequados e acessíveis em larga escala aos consumidores domésticos

OP2: Buscar maneiras mais eficientes e eficazes para a educação em informática (informação, treinamento e formação)

OP3: Demonstrar as potencialidade da informática como ferramenta para a solução dos problemas nacionais

2) RH

OP4: Promover a melhoria de qualidade dos cursos de informática

OP5: Formar profissionais de informática em quantidade compatível com a demanda do mercado

OP6: Inserir conteúdos de engenharia e administração nos cursos de informática para ajustá-los à demanda de mercado

OP7: Criar mecanismos adequados de participação da indústria na definição das ementas dos cursos de informática

3) P & D

OP8: Estimular o Governo a contratar p&d diretamente às empresas, em contraposição à prática atual de auxilio à pesquisa empresarial

OP9: Propor formas de financiamento governamental e empresarial que induzam relevância da pesquisa acadêmica para o mercado e a sociedade

OP10: Criar mecanismos adequados de avaliação da pesquisa acadêmica pela própria academia.

OP11: Promover a interação dos grupos da p&d acadêmica nacional entre si e com outros grupos internacionais

OP12: Estabelecer formas de integração universidade/empresa para viabilizar modelos cooperativos de pesquisa e desenvolvimento.

4) Empresas

OP13: Criar veículos de comunicação entre universidade e empresa sobre tecnologia em informática

OP14: Estimular o surgimento de novos empreendedores em informática

OP15: Propor ao Governo grandes projetos nacionais que causem impacto positivo sobre o mercado de informática

F) As operações em detalhes

1) Sociedade

a) Descritores do problema relativos à sociedade

As repercussões do problema da capacitação tecnológica e cultural em informática na sociedade brasileira foram vistas pelo grupo de planejamento através de duas manifestações básicas:

  1. considera-se que ha um baixo nível de informatização da sociedade em geral;
  2. identifica-se a ausência da informática nas propostas de solução dos grandes problemas nacionais.

Respostas dos questionários ("estas observações são procedentes?"):

b) Operações

Para atuar sobre estas manifestações do problema, a Diretoria de Programas Especiais do CNPq, através do Programa Temático Multi-institucional da Ciência da Computação (DPE/ProTeM-CC), propõe que o governo, em conjunto com a universidade e a indústria, implementem as seguintes operações:

OP1

Promover o desenvolvimento de produtos adequados e acessíveis em larga escala aos consumidores domésticos

RATIONALE

Ainda que a questão da má' distribuição da renda nacional tenha alto impacto sobre o nível de informatização da sociedade brasileira, condicionando negativamente a produção de bens e serviços de informática pelo lado da demanda (em especial a baixa demanda domestica), considera-se que há' algum raio de manobra para os agentes envolvidos (governo, universidade e indústria) atuarem sobre a adequação dos produtos a esta realidade, estimulando a produção para os consumidores domésticos (produtos do tipo SOHO - "small office, home office"). Observe-se, além disso, que esta operação deve ser implementada junto com as duas próximas, pois tendem a ter efeitos sinergéticos importantes, quando tomadas em conjunto, pelas relações de intercausalidade dos problemas que são os centros de ação de cada uma delas.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 1:

Ações propostas para viabilizar a Operação 1:

  1. Ouvir a sociedade sobre as necessidades nacionais
  2. Identificação de produtos adequados à realidade nacional
  3. Articulação do uso da capacidade de compra do governo para promover os produtos acima
  4. (OP1/2) Disseminação do uso de equipamento (disseminação do ensino de uso)
  5. (OP1/2) Instalação de equipamentos em centros comunitários, bibliotecas

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP2

Buscar maneiras mais eficientes e eficazes para a educação em informática (informação, treinamento e formação)

RATIONALE

Além de responder por parte da explicação do baixo nível de informatização da sociedade, o tipo de educação em informática que se pratica em geral no país causa impacto negativo sobre o uso da tecnologia pelas empresas e pelo governo, sendo estes dois fatores (em particular o caso do governo) os principais responsáveis diretos pelo ausência da informática na solução dos grandes problemas nacionais. A escolha deste centro de ação pelo ProTeM2000 tem portanto grande significação estratégica.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 2:

Ações propostas para viabilizar a Operação 2:

  1. Articulação com o MEC e Secretarias Estaduais e Municipais de ensino
  2. Edital p/desenvolvimento em cursos multimídia parao ensino pré-escolar, 1o., 2o. e 3o. Graus e extensão
  3. Desenvolvimento de curso de licenciatura em Informática
  4. Utilização da Rede (Internet) como apoio ao ensino à distância
  5. Modificar os métodos de ensino tradicionais procurando soluções de ensino mais eficientes;
  6. Planejar no tempo o ensino de informática

X1 anos - 3o. grau

X2 anos - 2o. grau

X3 anos - 1o. grau

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP3

Demonstrar as potencialidade da informática como ferramenta para a solução dos problemas nacionais

RATIONALE

A gestão e o planejamento das empresas e do governo não consideram a importância da informática, repercutindo na baixa densidade de uso da tecnologia pela indústria e pelas agências governamentais. Consequentemente, uma ação que se concentre em projetos de efeito-demonstração do uso da informática na solução de problemas significativos para a indústria e a população deve ter grande impacto positivo sobre a ausência da informática na solução dos grandes problemas nacionais.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 3:

Ações propostas para viabilizar a Operação 3:

  1. Promover um evento no congresso nacional sobre a potencialidade da informática na solução de problemas nacionais;
  2. Proposição de soluções para alguns problemas nacionais;
  3. Mecanismos de comunicação entre sociedade e o setor de informática (acadêmico e industrial)
  4. Utilizar a SBC como um dos meios para divulgação e disseminação
  5. Ouvir " outsiders" da área de informática
  6. Criar mecanismos eficientes de comunicação com a imprensa para divulgação das potencialidades e sucessos da informática na solução de problemas brasileiros

Comentários na lista de discussão do GT2:

2) RH

a) Descritores do problema relativos a RH

A questão fundamental levantada pelo grupo de planejamento na reunião de Brasília na área de recursos humanos em informática diz respeito à constatação de que a formação de recurso humanos, em geral, não supre as necessidade industriais e de mercado. O grupo identifica esse aspecto como uma das manifestações importantes do problema da capacitação tecnológica e cultural em informática estarem inadequadas e insuficientes na sociedade brasileira.

Respostas dos questionários ("é isso mesmo?"):

b) Operações

Para agir sobre o problema principal identificado pelo Plano 1996/2000, no que diz respeito à questão da formação de recursos humanos a DPE/ProTeM-CC propõe que governo, universidade e indústria dirijam esforços para as seguintes operações:

OP4

Promover a melhoria de qualidade dos cursos de informática

RATIONALE

Além de estar no âmbito de governabilidade dos principais atores envolvidos no planejamento do ProTeM2000 (e, portanto, ter maiores possibilidades de eficácia), uma operação deste tipo, envolvendo a melhoria de laboratórios (equipamentos e, principalmente, softwares aplicativos de grande penetração no mercado) e a qualificação de professores, pode ter alto impacto frente ao mercado sobre a atualização do profissionais formados. Não se desconhece, entretanto, que vai ser necessário enfrentar dificuldades de renovação e atualização dos quadros docentes, principalmente em função da estabilidade e imobilidade nos empregos, bem como criar mecanismos de avaliação dos cursos (objeto de operação especifica).

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 4:

Transformação científica e tecnológica do mercado

Ações propostas para viabilizar a Operação 4:

  1. Avaliação dos cursos;
  2. Radiografia da área de formação de RH;
  3. Incentivar a elaboração de livros textos;
  4. Promover cursos de atualização docente;
  5. Formação dos Coordenadores de Curso nos aspectos gerenciais e técnicos da função
  6. Garantir currículos de formação básica sólida
  7. Formação sanduíche na graduação;
  8. Possibilitar o acesso à literatura via rede
  9. Estimular aluno do 2o. grau pelo estudo da/com informática
  10. Capacitar laboratórios e bibliotecas
  11. Promoção de cursos experimentais para o futuro
  12. Estimular o espirito crítico do aluno
  13. Apoio continuado à iniciação científica
  14. Fixação de recém-doutores em centros emergentes
  15. Estimular a integração entre a Informática e a Engenharia Elétrica

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP5

Formar profissionais de informática em quantidade compatível com a demanda do mercado

RATIONALE

A quantidade de formados pelo sistema, sejam eles técnicos de segundo grau em informática, engenheiros, mestres ou doutores, é claramente insuficiente para a demanda atual do mercado, podendo criar-se um gap ainda maior com o crescimento natural ou induzido (pela própria ação dos programas governamentais e investimentos de modernização empresarial) da demanda futura.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):


AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 5:

Atendimento da demanda.

Ações propostas para viabilizar a Operação 5:

  1. Formação emergencial de profissionais em áreas afins;
  2. Promover workshops regionais mistos (universidade x indústria);
  3. Incentivar a criação de programas de pós-graduação;

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP6

Inserir conteúdos de engenharia e administração nos cursos de informática para ajustá-los à demanda de mercado

RATIONALE

Esta operação se dirige a um centro de ação no âmbito da governabilidade do grupo que planeja, embora deva ser vista em estreita relação com a operação seguinte, que visa a participação da indústria na definição de conteúdo dos cursos de informática. As duas juntas, atacando em paralelo as dificuldade de renovação e atualização dos quadros docentes, podem ajudar a desenvolver uma cultura de empreendimento na academia, ajustando o conteúdo dos cursos às exigências de engenharia e administração do mercado. Acrescente-se que também deve atrair atenção, principalmente no que diz respeito à rápida desatualização dos profissionais frente ao mercado, a montagem de mecanismos de educação continuada que se ajustem à demanda.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):


AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 6:

Melhoria da qualidade e produtividade da indústria de informática

Ações propostas para viabilizar a Operação 6:

  1. Perfil do profissional deve requerer características de gerência e produção

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP7

Criar mecanismos adequados de participação da indústria na definição das ementas dos cursos de informática

RATIONALE

Ações coordenadas nesta direção podem causar impacto positivo sobre conteúdos dos cursos, esquemas de educação continuada e especificação de software a serem usados nos cursos de treinamento e formação, criando um efeito sinergético para ajuste dos profissionais ao mercado.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 7:

Maior adequação curricular ao mercado

Ações propostas para viabilizar a Operação 7:

  1. Promover o diálogo entre academia e indústria de ponta

Comentários na lista de discussão do GT2:

3) P & D

a) Descritores do problema relativos a P&D

Na área da pesquisa e desenvolvimento, três questões são consideradas de grande importância para enfrentar o problema da inadequação e insuficiência da capacitação tecnológica e cultural em informática das empresas e da sociedade brasileira:

  1. considera-se que há pouca atividade de p&d nas empresas;
  2. ainda, que o p&d acadêmico é de pouca adequação à realidade;
  3. que, mesmo quando é relevante, a pesquisa acadêmica tem baixo aproveitamento pela indústria.

Respostas dos questionários ("essas observações procedem?"):

b) Operações

Para atuar sobre estes aspectos do problema, a Diretoria de Programas Especiais do CNPq, através do Programa Temático Multi-institucional da Ciência da Computação (DPE/ProTeM-CC), propõe que o foco da atuação governamental em conjunto com a universidade e a indústria se dirija para as seguintes operações:

OP8

Estimular o Governo a contratar p&d diretamente às empresas, em contraposição à prática atual de auxílio à pesquisa empresarial

RATIONALE

Além de ter grande impacto sobre o caso da pouca atividade de p&d nas empresas, mesmo considerando as dificuldades da resistência cultural que dificulta decisões deste tipo dentro do Governo, um conjunto de ações com essas características pode estimular a pesquisa e o desenvolvimento de novos produtos pelas empresas. O grupo de planejamento considera relevante que, neste sentido, os comitês de avaliação para financiamento e contratação de projetos criem uma métrica própria da área de informática, incorporando também aspectos empresariais e mercadológicos na análise. Embora fora da sua governabilidade e, portanto, de difícil atuação direta, o grupo também ressalta o pequeno porte das empresas brasileiras e a baixa exposição à competição internacional no Brasil e no exterior como componentes importantes da explicação para a pouca atividade de p&d empresarial.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 8:

20 empresas com CPq em CC/TI

5 PDCTI

@ R$ 10M/ano cada

10 emp. P&DESI

@ R$ 500.000 cada para bootstrap

5 PCIE

@ R$ 20M cada

Ações propostas para viabilizar a Operação 8:

  1. Estimular grandes operações a realizar PDCTI em conjunto com IES
  2. Induzir formação de empresas de P&D em áreas DESI
  3. Criar projetos cooperativos estratégicos e inovadores, com poder de compra, de desenvolvimento industrial, em áreas de DESI

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP9

Propor formas de financiamento governamental e empresarial que induzam relevância da pesquisa acadêmica para o mercado e a sociedade

RATIONALE

Além de se aplicarem aqui as proposições de ajustes nos métodos de análise de projetos pelos comitês assessores referidas na operação anterior, considera-se indispensável priorizar os investimentos públicos e atrair os investimentos privados para pesquisas acadêmicas que se ajustem à realidade da demanda da sociedade e do mercado. O grupo de planejamento sabe que a definição de prioridades nacionais tem importância fundamental neste processo, mas reconhece estar fora da sua governabiliade qualquer ação mais eficaz neste sentido.

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 9:

Mais de 20 centros de excelência e mais de 100 SPIN-OFFS por ano

Ações propostas para viabilizar a Operação 9:

  1. Induzir grupos de excelência em áreas-chaves, associadas a objetivos industriais

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP10

Criar mecanismos adequados de avaliação da pesquisa acadêmica pela própria academia.

RATIONALE

Esta operação, no entendimento do grupo que planeja o ProTeM 2000, leva em conta as dificuldades de estimular pesquisas relevantes para a sociedade através dos mecanismos atuais da academia ("peer review", "publish or perish").

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 10:

Critérios e diretrizes para a carreira acadêmica

Ações propostas para viabilizar a Operação 10:

  1. Inventariar e analisar produção científica x produtos, projetos, cargos, coordenações, cursos, orientação externa (Katia + CIPEX)
  2. Workshop internacional sobre avaliação da CC no contexto das políticas científica e industrial
  3. Rever o papel do CA-CNPq e agir politicamente sobre o CD
  4. Acompanhar e participar do processo de autonomia universitária
  5. Trazer o MEC (CAPES, SENESU, Com. Especial) para a discussão

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP11

Promover a interação dos grupos da p&d acadêmica nacional entre si e com outros grupos internacionais

RATIONALE

Apesar de reconhecer que o Brasil é isolado internacionalmente e que isto esta fora do âmbito de governabilidade do ProTeM2000, o grupo de planejamento considera possível atuar sobre a interação nacional e internacional dos grupos nacionais de pesquisa em informática, consciente de que esta ação pode causar impacto positivo sobre a adequação da pesquisa à realidade social e de mercado.

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 11:

Projetos ProTeM com participação efetiva de grupos do exterior e vice-versa

Ações propostas para viabilizar a Operação 11:

  1. Equacionar a Cooperação Internacional do CNPq;
  2. Criar & operar mecanismos de administração interna & externa
  3. Definir prioridades de cooperação (MS, AL, EU..)
  4. Introduzir a CAPES na questão?
  5. Incentivar a realização de workshops por temas/problemas 2 vezes ao ano
  6. Envolver mais a DCT do Itamaraty e as RD's no Exterior
  7. Redefinir a política de bolsas no exterior (CNPq, CAPES)
  8. Incrementar e difundir programas de visitantes estrangeiros

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP12

Estabelecer formas de integração universidade/empresa para viabilizar modelos cooperativos de pesquisa e desenvolvimento.

RATIONALE

O grupo de planejamento do ProTeM 2000 propõe que a pesquisa acadêmica em informática é um problema de inadequação à realidade social e de mercado e que, mesmo quando é relevante, a pesquisa tem baixo aproveitamento pela indústria. Dai a necessidade de se criar uma cultura de cooperação entre universidade e indústria, estimulando, por exemplo, a maior participação nos cursos de informática de professores com vivência empresarial corrente (professores convidados), a participação de empresários nos conselhos acadêmicos, a contratação de pesquisa cooperada com parceiros industriais e acadêmicos pelo governo, entre outros ações semelhantes.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 12:

Projetos ProTeM com participação efetiva da indústria

Ações propostas para viabilizar a Operação 12:

  1. Criar centros de integração universidade x empresa pelo Brasil afora
  2. Inventariar ensino, pesquisa e extensão no Brasil (tel., www..)
  3. Facilitar consultorias para universidades?
  4. Continuar a sofisticar os editais do ProTeM: Plano de Negócio, Gerenciamento da Empresa, mecanismos de administração de projetos cooperativos

Comentários na lista de discussão do GT2:

4) Empresas

a) Descritores do problema relativos às empresas

No âmbito empresarial, o Plano 1996/2000 do ProTeM-CC identifica duas manifestações do problema de inadequação e insuficiência da tecnologia em informática:

  1. considera que o parque empresarial de informática brasileiro é pequeno e ainda não consolidado;
  2. verifica um baixo uso de tecnologia nas empresas de informática em geral.

Respostas dos questionários ("considerações têm base na realidade?"):

b) Operações

Para atuar sobre essas manifestações do problema, a DPE/ProTeM-CC propõe que o esforço governamental, em conjunto com a universidade e a indústria, se dirija para as seguintes operações:

OP13

Criar veículos de comunicação entre universidade e empresa sobre tecnologia em informática

RATIONALE

O grupo avalia que a falta de recursos para investimento, a baixa exposição ao mercado externo, a demanda doméstica pequena e pouco sofisticada e a falta de comunicação entre universidade e empresa explicam o baixo uso de tecnologias nas empresas de informática. Considera, entretanto, que o ProTeM-CC tem pouca influência sobre a maior parte desses fatores, devendo concentrar atenção no que está no seu raio de manobra. Daí a proposição de se tratar a comunicação entre universidade e empresa, no que diz respeito à informação sobre pesquisa e desenvolvimento, como sendo factível e proveitosa para as duas partes se forem criados os veículos de transmissão adequados.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 13:

Promoção de investimentos de R$ 2 bi no desenvolvimento de bens e serviços de informática com tecnologia própria gerando quantidade significativa de empregos qualificados em tecnologia da informação

Ações propostas para viabilizar a Operação 13:

  1. Planejar e executar campanha para predispor academia e indústria à interação/cooperação;
  2. Criar um banco distribuído de projetos potenciais (via rede) para empresas e universidade;
  3. Incentivar financiamento oficial em contrapartida aos investimentos em P&D da Lei 8248 desenvolvendo complementarmente tecnologia básica na universidade e produto nas empresas

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP14

Estimular o surgimento de novos empreendedores em informática

RATIONALE

Este é um centro de ação com grandes possibilidade de impacto sobre a consolidação do parque empresarial de informática. O grupo de planejamento não desconhece a importância do fato de que o brasileiro em geral não desenvolve cultura de empreendimento, bem como de planejamento e gestão, e que existem dificuldades institucionais para a abertura de novas empresas. Por outro lado, reconhece que a alta de recursos financeiros (seja pela inexistência de credito em condições ajustadas ao perfil da indústria, pela falta de excedente econômico para reaplicação ou pela falta de capital de risco), carências que fogem ao âmbito da governabilidade do ProTeM-CC, são importantes responsáveis pela fragilidade do parque empresarial brasileiro. Mas considera também que existem oportunidades de mercado no setor que podem ser aproveitadas por novas empresas (ou pela diversificação de empreendimentos existentes), desde que convenientemente apoiadas, no mínimo ao nível da informação, treinamento e formação de novos empresários.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):

AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 14:

Promoção de investimentos de R$ 2 bi no desenvolvimento de bens e serviços de informática com tecnologia própria gerando quantidade significativa de empregos qualificados em tecnologia da informação

Ações propostas para viabilizar a Operação 14:

  1. Incluir nos currículos universitários, cursos eletivos sobre criação e gerência de empresas de inovação tecnológica;
  2. Estimular a criação de linhas descomplicadas de financiamento para empresas emergentes de informática.

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP15

Propor ao Governo grandes projetos nacionais que causem impacto positivo sobre o mercado de informática

RATIONALE

Em adição aos fatores restritivos apontados no rationale da operação anterior, o grupo que planeja o ProTeM 2000 tem consciência de que a burocracia tributaria, trabalhista e organizacional, além da falta de perspectivas econômicas de longo prazo, também impedem o desenvolvimento do parque empresarial de informática. Mesmo considerando essas restrições fora do controle do ProTeM-CC, o grupo propõe uma operação para fazer crescer o mercado de informática nacional como sendo uma forma factível de apoiar a indústria. Trata-se de definir, no âmbito do Governo, um pequeno conjunto de projetos nacionais que dêem visibilidade à informática como solução de problemas (e nesse sentido a operação converge sinergeticamente com a operação 3) e causem um impacto de demanda sobre o mercado nacional de informática. A operação também considera que fatores estruturais que inibem o mercado (como a baixa renda, a baixa cultura em informática, a dependência das empresas do mercado interno) tendem a mudar lentamente, mas que o poder de compra do Governo e novas formas de contratação governamental de p&d podem se somar a este esforço no fortalecimento do mercado interno de informática.

Respostas dos questionários ("concorda com o rationale?"):


AÇÕES PROPOSTAS PELOS RESPONDENTES DOS QUESTIONÁRIOS:

PROPOSTAS DO GT2

Resultados esperados com a execução da Operação 15:

Promoção de investimentos de R$ 2 bi no desenvolvimento de bens e serviços de informática com tecnologia própria gerando quantidade significativa de empregos qualificados em tecnologia da informação

Ações propostas para viabilizar a Operação 15:

  1. Promover a criação de consórcio universidade x empresa brasileira x MCT/CNPq para execução de projetos de dimensão nacional: TSE, SIVAM;
  2. Disponibilizar bolsas para pesquisadores no ProTeM?

Comentários na lista de discussão do GT2:

OP16 (proposta pelo GT2)

Definir e implementar modelo de gestão estratégica com base em metodologia e ferramentas que garantam o cumprimento dos objetivos do Protem2000.

Resultados esperados com a execução da Operação 16:

Modelo de gestão do ProTeM2000 testado e validado pela academia e indústria

Ações propostas para viabilizar a Operação 16:

  1. Montar esquemas de acompanhamento e controle do ProTeM-2000;
  2. Definir, especificar e desenvolver ferramentas informatizadas de gestão de projetos cooperativos
  3. Normatizar instrumentos de comunicação gerencial;
  4. Capacitar gerentes de operacõess nas ferramentas e métodos de gerenciamento;